O lago que separa França e Suíça é o endereço desta magnífica residência, que ainda tem os Alpes como paisagem permanente.
POR VIVIANE FREITAS FOTOS ADAM LETCH

Detalhe da “cabana” feita de concreto curvado, uma área coberta de apoio para a grande piscina externa.
No living com pédireito duplo, o teto de madeira recebeu iluminação técnica e uma claraboia estratégica. Painéis de mármore com veios esculturais revestem as paredes, revelando-se verdadeiros quadros artísticos naturais.

Não por acaso a casa tem um formato diferenciado. A construção, que totaliza 1.937m², precisou seguir à risca a grande faixa de terra na encosta do lago, um lote de mais de 4.400m² , no topo de um desfiladeiro. Assim, a forma curvada da platibanda dá o tom inédito a esse projeto contemporâneo e vai na contramão das atuais versões de volumes horizontais retos. O layout interior é divido em blocos, com o central, onde fica uma marquise, correspondendo ao hall de entrada e dividindo a casa em duas alas. Uma escada helicoidal, disposta como uma obra de arte, se une ao grande acervo artístico da residência. Ela leva ao porão, que conta com uma piscina interna longa e estreita, em formato de raia.

A cozinha minimalista tem balcão espelhado. Ela fica no piso principal, integrada às salas de jantar, estar e home theater e também tem portas de correr que levam à piscina.
A base da escada espiral de metal preto fica no porão, área destinada ao entretenimento, com adega e galeria de arte.

A fachada frontal que dá para a rua foi revestida com zinco, já a traseira é toda envidraçada, oferecendo visão total da paisagem do lago, das montanhas, da piscina e do jardim. Todo o projeto respeita a orientação solar noroeste e se vale de claraboias e chapas perfuradas estrategicamente posicionadas para aumentar ou conter a iluminação natural. O porão, por exemplo, recebe luz através de um vidro que forma uma das laterais da piscina externa. ”O uso de vidros triplos, aquecimento solar de água, bombas geotérmicas, cujo sistema de aquecimento e/ou resfriamento central transfere ocalor para ou do solo, e o telhadoverde conferem um perfil sustentável à proposta”, completam os profissionais do escritório sul-africano Saota.

Conectando os pisos de outro bloco da residência, a escada larga com guarda-corpo de vidro e madeira leva ao segundo estar.
Um recorte previsto no teto do segundo piso garante espaço para crescimento do bambu plantado no jardim de inverno. Destaque para os diferentes tipos de colunas que sustentam a construção.
A fachada de trás se volta para a piscina.
A chapa de alumínio perfurada a laser fica acoplada às curvas da platibanda oferecendo meia sombra aos vãos envidraçados.
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *