Módulos Tacchini, de David/Nicolas paraVictoria

POR VIVIANE FREITAS

Com espaço reduzido e menor número de expositores, o Salão do Móvel de Milão de 2021 se permitiu autointitular Supersalão, exatamente por resistir aos desafios por que passam todos os setores em tempos de pandemia e conseguir, em meio às adversidades, manter sua fama de mais significativo evento de design do mundo. Realizada de 5 a 10 de setembro, a 60a edição reune apenas 423 expositores (para se ter ideia, em 2019 foram cerca de 2400) além de 48 escolas de design do Salão Satélite. Ou seja, dessa vez, realizar o Salão teve um sabor mais conceitual do que quantitativo. Do Brasil, 12 empresas estiveram presentes com produtos e mais uma dezena de profissionais em eventos particulares espalhados por Milão. Merecido destaque para a coleção Rendeiras, de Pedro Franco para  A Lot of Brasil, que revela os traços tradicionais feito a partir do recorte a laser da chapa metálica em peças que são pura poesia, misto de romantismo e vanguarda.

Em termos de tendências em superfícies, a madeira é a estrela da feira, numa referência a uma utopia verde, onde o design encontra as qualidades naturais da faia, freixo, iroko, mogno e ébano. Nos estofados, verdadeiros sistemas para relaxar, com módulos e versões para a casa toda. Na linha office, projetos inteligentes criaram soluções de móveis híbridos, modulares e personalizáveis, ​​projetados para as necessidades emergentes do trabalho remoto, com o ônus da sustentabilidade e de materiais de alta qualidade. Levar em conta soluções para home office tornou tudo mais leve, com linhas simples e cadeiras menos robustas.

O fator humano, assim como a inovação tecnológica e o foco na beleza e nos produtos bem feitos, são os ingredientes revelados nas luminárias, que vão desde o artesanal até a produção industrial.

Circular por apenas quatro pavilhões permitiu ao visitante conhecer mais profundamente as novidades desse ano. E também conferir o que acontece em toda a cidade, entre palestras e demais acontecimentos, extraindo o máximo do suprassumo do design.

A seguir uma seleção de peças para inspirar o que vem por aí.


Smart Wood Collection, Philippe Starck para Kartell

Loomi, Opinion Ciatti

Task , da Artemide

Sofá Clara. De Christophe Delcourt para Baxter

Sofá-cama Dynamic de Matali Crasset para Campeggi


Luminária de mesa Manhattanhenge. De Luta Bettonica e Giancarlo Leone para Cini&Nils

Banco Bolzan, de ruga.perissinotto para Flag

Mesa de jantar Arkady, da Visionnary

Banco Chico de Estúdio Galho para Lovato

Banco Vine, da Turri

Filo, de Ronan and Erwan Bouroullec para Mattiazzi

Blouson, Gurian


Aparador Íris, da Medea 1905


N
Tapete Fauna Mix, de Regina Silveira para By Kamy


Cadeira Re-Chair, de Antonio Citterio para Kartell

Sistema LaCividina, de Ben van Berkel para Node+

Poltrona Le Club, de JM Massaud para Poliform

Lemni, da Living in Divani

Cadeira Bell, Magis


Lady Peacock, de Paolo Castelli

Pierre, da Flou

PT Underconstruction, de Pedro Franco para A Lot Of Brasil


Coleção Renda, de Pedro Franco para A Lot of Brasil


Sofá Snow, de Fratelli Boffi

so-font-Tugurium, Paolo Castelli



Sofá Gregory XL, de Antonio Citterio para Flexform




Mesas laterais Leaf.  De Patrick Jouin para Porada

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *