2º Prêmio Visual Design
Mostras – Ouro

Da cama ou do banho, a contemplação verde e viva se revela emoldurada, configurando este ambiente íntimo totalmente integrado, que reúne quarto, closet, banheiro e é claro, o jardim. Criado pela arquiteta Karen Feldman para a Casa Cor RS 2018, o Refúgio a Dois by Karsten, suíte de casal com 46m², eleva o conceito de relaxamento e reclusão a outro nível, favorecendo todos os sentidos no descansar, dormir ou relaxar. “O projeto vai além de uma suíte, e sim um refúgio onde cada habitante tem seu espaço. Com características minimalistas, uso de materiais nobres como o mármore, linhas retas, madeira e integração com a natureza configura-se num local onde as preocupações do dia a dia são esquecidas”, explica Karen.

Para não apenas visualizar mas sentir os aromas do jardim, vidros de correr que se abrem e se escondem atrás da alvenaria.
A cabeceira estofada em algodão, criação da arquiteta, fica iluminada sobre a parede revestida com tecido cor concreto. O criado-mudo, em laca fosca cinza, também foi desenhado pelo escritório. Banquinhos Mocho, de Sergio Rodrigues.

A começar pelo layout, livre de paredes, a ideia aqui é de total liberdade para apreciar, usufruir da praticidade e deixar à mostra o visual incrível. Para delimitar cada função, a arquiteta optou por revestimentos bem particulares, relacionando-os às áreas específicas. Assim, painéis do padrão amadeirado Itapuã revestem paredes e teto do espaço de dormir e o mármore Caravaggio é que predomina no amplo e iluminado banheiro.

O mármore Caravaggio confirma a predominância de tons delimitando o banheiro. O armário, mais detalhes na página esquerda, tem portas de vidro reflexivo incolor. Sobre a poltrona bordô Natuzzi, desenho de Xico Stokinger.

Da vegetação, composta por aspargos e formios – em jardim executado pela arquiteta paisagista Kucha Saatkamp – vem não apenas cores como aromas, já que o acesso é feito por portas de vidro de correr que se abrem e se escondem atrás das alvenaria.

Armários desenhados pela profissional com pintura laqueada fosca e bancada de mármore Caravaggio.

A proposta ainda reserva à intimidade, por que não?!, uma coleção de obras de arte selecionada, com esculturas salpicando aqui e ali, assinadas por Sonia Ebling e Bez Batti, e quadros conferindo personalidade às paredes, em traços de nomes como Xico Stokinger e Ado Malagoli. Premiado na Made 2018, o banco de lã de ovelha, de Ines Schertel, foi direto para o ambiente. Na parede atrás dele, “Bilhetes Porcelanas” da artista Carolina Peracca, que foram emoldurados em caixas de acrílico.

Colocada despretensiosamente sobre a roupa de cama branca, manta de corda, executada por artesãs mineiras. Na parede, desenho de Ado Malagoli e, sobre a mesa lateral de acrílico, escultura Cabeça de Bez Batti.

FOTOS CLAUDIO FONSECA

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *